Divulgação

Pedras em Pães

No dia 3 de fevereiro de 2007, mudei de casa pela décima primeira vez, agora pra minha casa. Muita coisa pra arrumar, armários pra montar e paredes pra pintar. Sobre o muro, próximo a porta, uma fileira de pedras me chamou a atenção. Lembrei que tinham me avisado sobre os dois cachorros infernais do vizinho, que latem dia e noite sem cessar. Conclui que as pedras estavam ali prontas para serem lançadas nos perturbadores de plantão. Elas serão muito úteis! Pensei comigo.Um segundo depois, repensei e as joguei fora, pois usaria uma outra estratégia.

Nos dias seguintes, sempre que voltava da padaria, trazendo alguns pães, pegava um pedaço e jogava pra eles: o Scooby – uma mistura de pastor com vira-lata e o Tigre – um bassê que não honra em nada seu nobre pedigree. Bem, o resultado foi mais rápido do que previ, em uma semana conquistei o respeito deles que atendem meus pedidos de silêncio. O próprio vizinho, dono deles, ficou surpreso com a calma com que eles me observam quando apareço no muro. A fórmula óbvia havia funcionado: “Pedras por Pães”.

Alguns dias depois deste episódio, me surpreendi numa crise de fúria-cômica enquanto fazia meu filho, Vitor, de apenas onze meses, nanar. Minha raiva era tanta que tive vontade de esganar o lindo garotinho no berço. Foi quando joguei a toalha e passei o bastão para a Ju. Então deitei na cama com uma sensação de frustração e impotência gigantesca. Me senti fraco e pequeno, como na verdade sou. Sentir raiva do filho é um sentimento desolador em qualquer situação, pois, antes de mais nada, joga na cara nossa debilidade e instabilidade emocional.

Pois bem! Fiz uma breve oração que mais pareceu um gemido e me levantei para o segundo “Round”. Fui até a sala, peguei o Vitor no colo com todo carinho, debrucei-o sobre meu peito e finalmente o fiz dormir. A tempestade de pedras havia passado e mais uma vez, de uma forma trôpega, havia trocado-as por pães.

Há algum tempo tenho procurado uma fórmula de comportamento capaz de tirar toda aura mística da mensagem de Cristo, transformando-a em algo prático para pessoas de carne e osso, como eu. Nesta busca, ironicamente, o próprio satanás me deu a dica, dizendo a Jesus: “Se é mesmo o Filho de Deus, transforme esta pedra em pão”(Lucas 4.3). Jesus não atendeu o pedido naquele contexto, porém, no decorrer de sua vida terrena, Ele o fez centenas de vezes: salvando uma prostituta de ser apedrejada, alimentando multidões, curando enfermos e transformando os corações até de oficiais romanos. Seu comportamento tornava as pedras inúteis no momento onde os homens as achavam insubstituíveis. Ele nos mostrou o padrão de comportamento mais consciente e eficaz para transformar o próprio mal em bem, a própria morte em vida.

Busco hoje, me distanciar cada vez mais dos “aleluias”, “améns” e de todo tipo de “firulas eclesiásticas”, para ir de encontro a esta fórmula, difícil, mas possível, capaz de transformar “pedras em pães”.


“Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com [o bem].
Carta de Paulo aos Romanos. 12.21
Share on Google Plus

7 comentários :

  1. É incrível como isso foi deixado de lado, e muitas pessoas até estranham quando fazemos o bem a outros.
    Que isto sirva de exemplo para que possamos tornar o bem comum.
    Um pouco de sonho não faz mal a ninguém, não é?

    ResponderExcluir
  2. Anônimo24.2.07

    sim as pedras podem sim serem transformadas em paes...de bencaos...no dia a dia corrido e tudo e qualquer momento ate qd/ ensopados de shampoo a agua acaba do chuveiro...e neste momento que as pedras se transformam em paes,e uma maneira de abtuar o nosso ego a abituar a nossa conciencia para agir positivo,e sempre...nao so em momemtos cruciais como o de amansar o cao feroz ou disturbador do vizinho,e mostrar ao nosso vizinho que um pao abranda o coracao e as pedras so ferem a alma...Deus te abencoe sempre garotao,e a sua familia,e te ilumine sempre....lindo ,lindo ,lindo....sem comentario,mas perfeito....Deza

    ResponderExcluir
  3. Anônimo26.2.07

    É filhão...
    Vc conseguiu, com esta mensagem, amolecer meu coração q insiste em se petrificar com as pedradas da vida. Mas, não se envaideça por isto, pq não é só vc q está nesta mensagem, mas o Espirito Amoroso de Jesus q te inspira.
    Continue transformando pedras em pães com suas atitudes e com suas mensagens.
    Deus te abençõe sempre!
    Mami

    ResponderExcluir
  4. Eu tb estou aprendendo muito com vc, me surpreendo a cada dia.
    beijos Ju

    ResponderExcluir
  5. Cláudio7.3.07

    Lucas,
    Gostei muuuuuuito do úlimo blog, sobre pães e pedras.
    Parabéns.
    Vc se superou.
    O texto está surpreendente, interessante, cativante, muito bem redigido, mas especialmente, muito sólido e com muita substância e maturidade.
    Vc conseguiu fazer uma inter-relação excepcional entre uma cena real do seu cotidiano, com pães e pedras literais, e a palavra de Deus, com pães e pedras simbólicos.
    Mas mais ainda, pois vc não só explicou um conceito profundo da palavra de Deus, como vivenciou-a, numa aplicação prática no dia-a-dia. Que é o que Deus quer que façamos.
    Além disso a história com o Vitor serviu perfeitamente de ponte para ajudar na transposição entre o literal e simbólico, na medida certa!
    Parabéns de novo!
    []s,

    Cláudio

    ResponderExcluir
  6. O Seu Blog sempre tem algum texto que me faz repensar a maneira de viver, mas este tocou realmente o meu coração. Peço a Deus que me ajude a saber trocar pedras por pães desta maneira tão prática e eficiente.
    Parabén e
    Obrigada....

    ResponderExcluir
  7. Anônimo1.9.14

    TExto muito inspirador! Continue!
    Gostei também do parágrafo final sobre o deixar de lado os jargões religiosos vazios e optar por encarar a situação desafiadora com amor. Obrigado.

    ResponderExcluir