Banner Geração Digital

Chamas de Sadraque


Com certeza muitos contarão esta história, talvez ela até seja escrita. O dia em que Sadraque, Mesaque e Abede-Nego não se queimaram na fornalha do grande Rei Nabucodonosor. Mas o fato é que queimamos sim, queimamos nossa vaidade, nosso orgulho, nossa falta de fé, queimamos nossos erros, nossos pecados que sempre nos afastavam dos caminhos corretos e principalmente das pessoas que mais amamos e que mais precisavam de nós. Queimamos nossa arrogância e prepotência, nosso descaso e indiferença. Como metal derretido, sendo depurado, sentia as chamas envolvendo meu corpo, pensei já estar morto, pensei ser só alma. Naquele momento talvez fosse.

Vi meus amigos, eles andavam por entre as labaredas. Pensei em mim, lembrei de tudo que havia feito até ali, pensei em tudo que ainda não havia realizado, então me entristeci, os abraços e beijos que evitara, as palavras de carinho e gratidão que não proferi, os perdões que não dei, nem pedi. Encontrei-me de joelhos diante de minha própria vida, porque eu precisava mais do que filosofia ou teologia naquele momento. Qualquer Deus em outro espaço não serviria de nada para mim.

Mas Ele veio, estava bem perto, pude sentir Suas mãos sobre mim. Nunca duvidei Dele, nunca duvidei das histórias de meus pais e meus avós. O mar se abrindo, os inimigos se despedaçando sozinhos. Sempre tive fé, mas minha dúvida sempre esteve em não saber qual a vontade deste Deus para minha vida. Pensei que ele me livraria do Rei, dos inimigos, da fornalha, não, lá estava eu, queimando. Foi quando percebi, estava vivo, vivo, e aquelas chamas não invadiam meu corpo, nem ao menos queimavam minhas vestes. Porque Ele, meu Senhor, estava lá, Ele não me castigava, Ele me ensinava, me mostrava seu poder e acima de tudo seu amor.

Então me levantei no meio das chamas, ergui minha cabeça e caminhei para fora da fornalha, vivo, mais vivo do que nunca, olhei para o povo ao meu redor, olhei para o Rei e sorri, não com altivez, porque ainda sentia sua graça em meu corpo, ainda sentia suas mãos em meus ombros, ainda sentia seu imenso amor.


Extraído e adaptado da Bíblia,
Livro de Daniel, capítulo 3.






[]s



Lucas Pedro
Share on Google Plus

0 comentários :

Postar um comentário