Divulgação

Sorvetes e Abraços

Preciso ser sincero.
Você, Ian, não perdeu muita coisa.

Tem muita gente aqui, que perdeu a cabeça, esqueceu o que realmente vale a pena. Tem gente que dá o sangue e até tira a vida de outros por dinheiro. Dinheiro? Ah! Desculpe, você não sabe! É um papel impresso com uns números. Inventamos que isso tem valor e o negócio pegou. Tem gente que usa ele pra exibir roupas, carros, viagens, diplomas, umas bobagens, pra se sentir por cima, pra se achar mais importante, mais feliz, sei lá. Até que funciona, como a bobagem é coletiva, acaba dando certo. Tem muita disparidade, tem gente rindo do lado de gente se matando de tristeza. Tem gente com fome a poucos metros de outros que se fartam de bobagens. Tem guerra, acredita!? O que é? Gente se matando. Por que? Bobagens também, pedaços de terra, petróleo, religião e etc. É, pode acreditar!

Tem muita dor menino, muita dor. Tem gente que sofre calado por anos a fio, fingindo que a vida é um conto de fadas. Tem gente que se engana com bastante barulho e trabalho, pra esquecer como se é fútil e vazio. Trabalho? É uma atividade em troca de algo. A gente trabalha bastante, pra ganhar o dinheiro. Lembra dele? Anos e anos, não dá pra parar, senão o tal acaba, aí não dá pra viver. Entendeu o processo? Besta né!? É assim! Aí tem uns cineminhas, teatrinhos, dancinhas e tal. Até alegra, sabe! Temporário, mas a gente se engana bem. Vai tocando.

O que vc perdeu? Hmmmm... Deixa eu ver...

Sorvete! Sorvete é bom demais! Precisa de dinheiro pra ter ele também, mas por ele vale a pena! É uma massa gelada, de vários sabores, são muitos sabores mesmo. Eu gosto muito de pistache, costumo dizer que tem gosto de palhaço. Não! Eu nunca comi palhaço! Digo isso porque tem gosto de infância, aquele gosto maravilhoso que a vida tem quando a gente ainda é menino, criança, sem malícia, sem estas bobagens da vida que acabei de te contar. Como sentir prazer com cheiro de grama cortada ou chuva chegando. Sorvete é assim! Como abraço de mãe, de pai, de irmão, de amigo do peito. Aquele tipo de abraço no qual se encosta a própria alma na alma do próximo. É bom demais! Faz esta vida, sob o Sol, valer a pena, apesar de tanta bobagem, de tanta vaidade, orgulho e ilusão.

Já aprendi que você não pode, mas se um dia puder, vire borboleta de novo e pouse no meu sorvete de pistache, só pra provar o gostinho de palhaço. Tenho certeza que você vai gostar! Menino bonito.

Viu! Antes de ir, se conhecer o grande Criador ou o Filho Dele, não se esqueça de dar um daqueles abraços. Tenha modos! Não pergunte nada, apenas agradeça.

abs
Lucas Pedro
em memória do meu sobrinho Ian Luca, que apesar de ter vivido apenas nove meses entre nós, já nos ensinou o suficiente para uma vida toda.
Share on Google Plus

3 comentários :

  1. olá
    clicando por aí, acabei por encontrar seu blog e esse texto que particularmente gostei mtooo!!!

    parabéns...

    tb gosto de escrever , tenho um blog com coisas bem minhas!! seja bem vindo qnd tiver vontade d ler... eu pelo jeito voltarei aki mais vezes!!

    um abraço

    caroline

    www.carolidade.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. ANNY8.6.08

    COMO JÁ TE DISSE PESSOALMENTE: AMEI...ALÉM DE UM IRMÃO MARAVILHOSO VI EM VC COM ORGULHO UM PAI E TIO QUE TODOS GOSTARIAM DE TER!!! PARABÉNS MENINO!!!

    ResponderExcluir
  3. Lucas
    Obrigada por dividir comigo uma dor que não é fraca não...
    Quase todo dia leio. Colei no meu diário.
    Sábado no bosque foi muito bom com as crianças e aquele momento com aquela borboleta verde tbém foi muito legal!! Acho que Deus colocou ela ali p/ o momento ficar mais bonito ainda!!
    Te amo muito e ainda vamos compartilhar muitas alegrias!
    sua irmã Andréa p/ o q der e vier forever, vc sabe.

    ResponderExcluir