Banner Geração Digital

No bolso do Rubem, do Afonso e no meu.




Era pra ser um churrasco trivial, muita carne, coca e fofocas inofensivas, mas meu tio Afonso acendeu o fogo da conversa com seus questionamentos bíblicos. Porém, aos poucos, os participantes do debate foram cedendo, literalmente, aos prazeres da carne, restando apenas eu e ele na temática teológica. Falamos sobre a dificuldade em se crer no castigo eterno, sobre o acaso versus o onipotente controle divino, sobre liberdade de escolha ou pré-definição. Foi um diálogo saudável no qual deixamos tudo em aberto, concordamos em não ser simplistas nem autoritários.

Por coincidência, alguns dias depois, lá estava eu no lançamento de um livro do Rubem Alves; ex-pastor, ex-teólogo, hoje, ateu, escritor e psicanalista. Sendo sabatinado por jornalistas, um deles mandou a pergunta: "Rubem, você acredita em Deus?" O especialista em metáforas respondeu: "Acredito que Deus seja um bolso, cada um tem o seu, cada um coloca nele as características e valores que deseja. Portanto, se eu disser que acredito em Deus, você vai achar que eu acredito no seu bolso e no que nele está contido."

Ambos, Afonso e Rubem, desistiram do deus ortodoxo, por refletir, estudar, pensar e repensar, resolveram ficar entre o preto e o branco, estão exatamente onde fica o sinal de interrogação. No bolso deles imagino uma série de papéis rasgados, cada um contendo um questionamento sincero sobre o próprio Deus, porém, sobre todos estes papéis, um bem maior, contendo um anseio imenso de que o mesmo Deus realmente exista.

Mas e no meu bolso? O que há nele?

Ainda o Deus bíblico, não o bonzinho "cara lá de cima" da apresentadora Xuxa, mas o complexo Deus dos Hebreus, de Abraão, Isaque e Jacó. Devo afirmar que não é nada fácil crer no Deus que endureceu o coração de Faraó para então assassinar todos primogênitos do Egito. Sim, creio no Deus que ordenou ao exército de Israel, mais de uma vez: Mate todos! Homens, mulheres, crianças e até animais. Fé por vontade de crer, por desejo de tatear no escuro e enfim encontrar. Afinal, hoje vemos em partes com a esperança de um dia vermos face-a-face.


E no seu bolso, o que há?



"Pensar em Deus é desobedecer a Deus,
Porque Deus quis que o não conhecêssemos,
Por isso se nos não mostrou...
Sejamos simples e calmos,
Como os regatos e as árvores,
E Deus amar-nos-á fazendo de nós
Belos como as árvores e os regatos,
E dar-nos-á verdor na sua primavera,
E um rio aonde ir ter quando acabemos!..."
Alberto Caeiro, em "O Guardador
de Rebanhos"
.

Transformai-vos
Share on Google Plus

1 comentários :

  1. É... Lucas
    O meu comentário é que: eu creio no Deus da Bíblia, com todos os questionamentos que houver qto aos seus mandos e ações. E mais: creio q Ele é um Deus pessoal, e que tudo q acontece em nossas vidas é supervisionado por Ele, e tenho provas na minha vida disso.
    Ninguém ainda conseguiu me convencer do contrário, graças a Ele também.
    Que Ele seja louvado sempre!
    E este meu credo é sem pretensão ou orgulho nenhum. Ele merece toda nossa crença e louvor.
    bjs
    mami

    ResponderExcluir