Divulgação

Olhe para as estrelas...


Era uma noite sem luar, há muito tempo não via tantas estrelas.
Os garotos perguntavam o que era aquela nuvem solitária. Eles nunca tinham visto a Via Láctea. Tivemos o privilégio de observar várias estrelas cadentes. Tentei por alguns minutos encontrar as famosas Três Marias. Queria mostrar aos meninos que a estrela central delas, na verdade não é uma estrela, mais do que isso, ali se encontra a nebulosa de Órion, um dos locais mais lindos do Universo  já captados pelas lentes do homem. Um local majestoso onde estrelas nascem a todo momento. Estrelas maiores que a nossa, maiores até que nosso Sistema Solar.

Numa noite rara como essa seria impossível ninguém lançar a famosa questão sobre a possibilidade de vida em outros planetas. Durante um bom tempo de minha vida questionei isso também. Sempre achei improvável num Universo tão vasto só existir vida neste minúsculo globo. Hoje me proponho a crer que somos apenas nós. E encontro nessa proposta a resposta para outra questão: Por que somos tão importantes para Deus? Por que a Bíblia nos revela que este Deus, criador de galáxias ama seres tão insignificantes como nós.

Nesta proposta imagino o Cientista-Criador em seu laboratório, desenvolvendo fórmulas, leis, partículas e toda estrutura necessária para concluir sua obra-prima. Para alcançar seu objetivo principal: Criar a Vida. A vida em sua essência, o ser autônomo, a existência própria. Sendo assim, não só nós, mas tudo que vive é então especial para Ele. Talvez por isso este Criador nos ame tanto. Talvez por isso este pequeno Sistema Solar seja tão grande aos olhos deste Cientista. Talvez por isso, só nós existimos neste cômodo minúsculo do Universo.

Definitivamente talvez. Mas me agrada muito esta proposta. Alegra-me crer que a vida é tão rara. Alegra-me crer que, por menor e mais efêmera que seja uma vida, mesmo assim o Criador se importe tanto com ela, simplesmente porque é sua obra-prima.

Isso me lembra uma canção perfeita do Coldplay que diz:

Olhe para as estrelas,
veja como elas brilham por você.

Você sabe que eu te amo tanto.
Você sabe?
Veja como elas brilham.

Dedicado à minha sobrinha Duda e suas 2 horas e meia de pura obra-prima.


Share on Google Plus

1 comentários :

  1. Lucas, você sempre acerta nas músicas! Nunca havia prestado atenção em Yellow, assim...a gente nunca vai ter noção de como Ele nos ama...

    ResponderExcluir