Divulgação

Nós que somos maus


Nas últimas semanas um estuprador tem causado terror em um bairro de Campinas. O povo da região na ânsia de fazer justiça acabou espancando um rapaz até a morte sem saber ao certo se ele era o estuprador. Quando um estuprador é morto, paira-se no ar o estranho odor da morte com um leve tempero de justiça executada. Fico imaginando o odor que está sentindo este “povo” que linchou um rapaz, talvez por engano. Veja notícia

Segundo o renomado sociólogo José de Souza Martins, o Brasil é possivelmente o país dos linchamentos. Ele estima que ocorra de 3 a 4 linchamentos no país por semana e os motivos podem ser desde um furto de galinha até um estupro seguido de assassinato. Estima-se ainda que 500 mil brasileiros tenham participado de linchamentos nos últimos 50 anos. Veja artigo

Esse acontecimento, seguido de uma breve pesquisa, me trouxe à tona uma frase de Jesus pouco estudada, talvez por ser pouco apreciada.
Disse ele: Se vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem? Evangelho de Mateus 7:11. 
Sempre que estudamos este texto da Bíblia, ressaltamos a bondade de Deus em dar coisas boas aos seus filhos, porém, ignoramos o início da frase onde Jesus afirma que nós, humanos, somos MAUS. Imagine Jesus, como nós cristãos cremos, o Deus encarnado, após viver alguns anos em contato direto com humanos, simplesmente nos classificar como maus. Ele não disse; os Romanos maus, ou os Gregos maus, ou os Judeus maus, ele disse: nós maus, todos nós humanos, inclusive eu e você. É verdade que amamos nossos filhos, vivemos por eles e talvez até morramos por eles. Mas isso não nos retira a classificação de Cristo.

Somos maus e sinceramente eu espero que você reconheça esta maldade, pois é fato que grande parte de uma doença está aniquilada a partir do momento em que ela é diagnosticada. Portanto se você se acha bonzinho, se não reconhece sua maldade, isso só atesta que você é o pior dos piores. Talvez você freqüente uma igreja todo domingo, talvez você doe sangue regularmente e faça obras de caridade nos finais de semana ou simplesmente ajude velhinhos atravessar a rua no centro da cidade. Ótimo! Mas não se esqueça; você é uma pessoa má. Conscientizar-se é o princípio da cura.

Acredito que esta constatação de Jesus tenha ligação com aquela passagem em que Ele diz que somos rápidos em verificar o cisco nos olhos dos outros, mas somos péssimos em identificar os que estão nos nossos. Conseguimos com facilidade destacar os demônios nas atitudes dos nossos colegas, amigos e parentes, enquanto olhamos no espelho nos achando pessoas boas, justas e corretas. Neste momento nossos demônios estão voando como moscas em nossa cabeça, mas nós não os identificamos.

Não quero defender estupradores, muito menos acusar linchadores, mas afinal, o que somos nós?
Estupradores, linchadores, traficantes, prostitutas, homens de negócio, donas de casa e pessoas do bem?

Segundo o demônio fictício criado por C.S. Lewis no livro “Cartas de um demônio ao seu aprendiz”, somos seres anfíbios, metade espírito e metade animal. Como espíritos, fazemos parte da eternidade e podemos nos aproximar daquele que é Eterno, mas como animais, podemos ser direcionados à toda sorte de paixões e quedas. Por isso vivemos entre uma série de picos de eternidade e valas de pecado. Em resumo este experiente demônio instrui seu pupilo diabinho a afastar os humanos de toda e qualquer verdade. E a verdade em questão é que nós somos maus.

Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado.
Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.
Contra ti, contra ti somente pequei, e fiz o que é mal à tua vista, para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares.
Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.
Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria.
Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.
Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que gozem os ossos que tu quebraste.
Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades.
Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. 

Salmos 51:2-10

Transformai-vos!

Share on Google Plus

3 comentários :

  1. Olá,
    Também tive o privilégio de ter o blog "Ensinando a Bíblia com Criatividade DI/IPJ" fazendo parte da lista de blogs presbiterianos da IPB. Que tal aproveitarmos esta oportunidade e fazermos parcerias entre "os blogs presbiterianos"! Estou visitando todos e fazendo esta proposta.
    Edenícia - Coordenadora do DI da Igreja Presbiteriana de Jacobina-BA

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o texto! O ser humano cada vez mais a beira do abismo!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir