Antes a Espada, agora a Lanterna

“O amor não é, primacialmente, uma relação para com uma pessoa específica; é uma orientação de caráter, que determina a relação de alguém para com o mundo todo, e não para com um "objeto" de amor.” - Erich Fromm

Quem você ama? Sua família? Seus amigos?
Quem você odeia? Os políticos? Os pedófilos?

...
Pouco antes de ser crucificado, Jesus e os discípulos foram para um local chamado Getsêmani. Jesus orava, enquanto os discípulos dormiam. Jesus fortalecia o espírito falando com o Pai, enquanto os discípulos fortaleciam o corpo com uma boa soneca. Um bom sono que foi interrompido pelo barulho dos homens que chegavam para prender Jesus, que foi identificado por um beijo no rosto, dado por Judas, um de seus discípulos.
 Devemos usar as espadas? – Perguntaram os discípulos a Jesus.
Antes de qualquer resposta do mestre, Pedro desembainhou uma espada e agrediu um daqueles homens, cortando sua orelha direita.
 Basta! – disse Jesus, curando a orelha daquele homem e reparando aquele ato de violência.
(Evento registrado nos quatro Evangelhos)
...


Você é uma pessoa violenta?
Você tem tomado posicionamentos violentos?
Redução da Maioridade Penal; Posicionamentos políticos; Ideologia de Gênero; Casamento Homoafetivo; Crise humanitária no Oriente e muitos outros temas que pipocam em sua rede social preferida, têm levado você a repetir com os discípulos:  Devemos usar as espadas? Ou você tem cortado orelhas, como Pedro?

Em toda a história do cristianismo, tem sido difícil entender que o Reino de Deus inaugurado por Cristo é um Reino Espiritual que não se instaurará de modo concreto até que Jesus venha novamente. Muitas vezes, assim como os doze discípulos, nós queremos ver o Reino instaurado no nosso presente século, mesmo que para isso seja preciso a espada. Queremos ver nossa crença, nossa fé institucionalizada na sociedade e no Estado, ignorando o fato de que este desejo é o mais maligno de todos. No Brasil de hoje, alguns “cristãos” defendem a violência contra homossexuais. Defendem a violência como caminho para a purificação das massas, como se fossem eles os Novos Cruzados da Igreja Cristã, ignorando que este caminho é a nascente de todas as grandes distorções da fé cristã através da história. Queremos instaurar um reino cristão, concreto, temporal e mundano, quando Jesus nos informa, de modo claro, que seu Reino é Espiritual, Atemporal e Divino.

– Basta! – Jesus continua respondendo.

Como discípulos Dele, fomos chamados para curar orelhas, mãos, pés, mentes e corações.
Tomo a liberdade de converter a frase do psicanalista Erich Fromm, que não era cristão, mas entendeu melhor do que muitos cristãos, o que é o amor:

O amor do Cristão não é, primacialmente, uma relação para com uma pessoa ou grupo específico; é uma transformação do caráter, conforme o caráter de Cristo.

Antes de Cristo, a espada. Com Cristo, a lanterna, pois:

Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;
Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus.
Mateus 5:14-16








Share on Google Plus

1 comentários :

  1. Muito oportuno!! É necessário amar mais tudo (e com todos os frutos do espírito: alegria, paz, bondade, fidelidade, longanimidade, benignidade, mansidão e domínio próprio): a Deus, a todas as pessoas, sem exceção, a natureza.

    ResponderExcluir