Banner Geração Digital

Relation-Ship


Sempre gostei do idioma inglês, provavelmente por imposição cultural. Estudo inglês por prazer, mas no início deste ano coloquei como meta não abandonar o estudo com o passar dos meses. A meta ainda está de pé, pelo prazer e também pela necessidade profissional e educacional. Foi estudando prefixos e sufixos, que a palavra Relationship me levou a uma reflexão que é fruto da fase da vida em que estou no trato com parentes, amigos, clientes e também com Deus.

Tenho por certo que Relacionamento é um dos maiores desafios da vida e diante disso me vejo ainda tão carente de aperfeiçoamentos. Por muitos anos ignorei a importância das relações interpessoais, por sempre apreciar o aprendizado autodidata e as empreitadas naquele estilo lobo solitário. Ah, como eu estava errado! É justamente o contrário. Tenho aprendido, ainda que tardiamente, que tudo nesta vida se cria, se resolve e se desenvolve por meio do relacionamento. Tenho me dado conta de que as relações construídas durante os projetos, cronogramas e tarefas são muito mais importantes do que os resultados obtidos. Todas essas coisas são apenas consequências dos relationships que construímos com os outros.

O mais interessante é que, no inglês, o sufixo - Ship - também é a palavra Navio. Então, poetizando, relation-ship, o navio das relações, é um meio de transporte com a qual navegamos pelo oceano da vida. Essa embarcação é o lugar no qual convidamos pessoas para entrar e navegar com a gente. É nesta embarcação que definimos nossa identidade por meio do atrito e afeto com outras identidades. Nesta embarcação produzimos, vendemos, compramos, doamos, consumimos e neste processo muitas vezes nos esquecemos que o relacionamento é mais importante do que tudo isso. Essa troca de informações, experiências, com este atrito e afeto de biografias é mais vital do que tudo que construimos de concreto. O navio da relação que criamos é o verdadeiro legado que deixamos aos amigos, aos parentes e até mesmo àqueles desconhecidos avatares das redes sociais.

Este navio também é o lugar onde construimos nossa relação com Deus. Nesta relação peculiar, entre o passageiro e o eterno, também aprendemos que a mera oração, pré-formatada pela religião, não consegue alcançar aquele nível profundo de relacionamento necessário com o Pai. Aquele nível onde entregamos tudo a Ele, até mesmo nossa incapacidade de crer e entender. Então, neste momento pedimos até pela fé que torna possível essa relação. Acima de tudo aprendemos, neste navio, que a relação diária com Deus é infinitamente mais importante do que o aquilo que recebemos ou não recebemos Dele. Neste momento, nos damos conta de que navegar com Ele é infinitamente mais importante do que chegar em qualquer destino, seja ele bom ou ruim.

Share on Google Plus

4 comentários :

  1. Lucas, como sempre, seus textos são perfeitos !!

    ResponderExcluir
  2. Anônimo5.4.17

    Parabens! Lindo texto !

    ResponderExcluir
  3. Meditação edificante esse texto me proporcionou.

    ResponderExcluir
  4. Fantástico Lucão! God bless you!

    ResponderExcluir