Os cientistas

Por Lucas Pedro Transformai-vos - dezembro 20, 2017

Foto do cometa (C / 2014 Q1) captada pelo fotógrafo Yuri Beletsky em 2015.

"Depois que Jesus nasceu em Belém da Judéia, nos dias do rei Herodes, magos vindos do Oriente chegaram a Jerusalém e perguntaram: "Onde está o recém-nascido rei dos judeus? Vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo". Quando o rei Herodes ouviu isso, ficou perturbado, e com ele toda a Jerusalém. Tendo reunido todos os chefes dos sacerdotes do povo e os mestres da lei, perguntou-lhes onde deveria nascer o Cristo. E eles responderam: "Em Belém da Judéia; pois assim escreveu o profeta: ‘Mas tu, Belém, da terra de Judá, de forma alguma és a menor entre as principais cidades de Judá; pois de ti virá o líder que, como pastor, conduzirá Israel, o meu povo’ ".
Então Herodes chamou os magos secretamente e informou-se com eles a respeito do tempo exato em que a estrela tinha aparecido. Enviou-os a Belém e disse: "Vão informar-se com exatidão sobre o menino. Logo que o encontrarem, avisem-me, para que eu também vá adorá-lo". Depois de ouvirem o rei, eles seguiram o seu caminho, e a estrela que tinham visto no Oriente foi adiante deles, até que finalmente parou sobre o lugar onde estava o menino. Quando tornaram a ver a estrela, encheram-se de júbilo. Ao entrarem na casa, viram o menino com Maria, sua mãe, e, prostrando-se, o adoraram. Então abriram os seus tesouros e lhe deram presentes: ouro, incenso e mirra." 
Mateus 2:1-11

Após completar um plano de leitura sobre os personagens envolvidos no nascimento de Jesus, acabei refletindo sobre o significado da visita dos Magos do Oriente nesta ocasião tão especial. O discípulo Mateus foi o único a relatar esta visita em seu Evangelho e apesar da tradição católica especular muito sobre estes homens, dando a eles nomes e origens, na verdade, pouco sabemos sobre eles, por meio dos textos bíblicos. O que sabemos é que eles não faziam parte do povo de Israel e que, por isso, nada sabiam a respeito das Escrituras e sobre as profecias a respeito do Messias revelado por Deus. Além disso, sabemos que os magos do Oriente eram os cientistas daquela época, eram pessoas que estudavam a natureza de modo empírico. Foi, justamente, por meio deste empirismo que estes homens encontraram nos astros indícios de que algo especial estava por acontecer. Uma estrela no céu, que alguns estudiosos acreditam ter sido na verdade uma sobreposição de astros, revelou àqueles precursores da ciência ser a chegada de um Rei especial do subjugado e sofrido povo de Israel.

Duas coisas me chamam a atenção neste episódio relatado por Mateus. Em primeiro lugar o fato destes homens terem encontrado o caminho até o Messias, por meio da observação da natureza, por meio daquilo que nós cristãos denominamos como Revelação Geral e que nos leva de modo inevitável a relembrar o Salmo que diz:
Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos. Um dia fala disso a outro dia; uma noite o revela a outra noite. Sem discurso nem palavras, não se ouve a sua voz. Mas a sua voz ressoa por toda a terra, e as suas palavras, até os confins do mundo.
Salmos 19:1-4
Em segundo lugar, apesar destes cientistas perceberem nas obras do Criador os sinais da vinda de seu Filho, foi apenas por meio da Revelação Especial (As Escrituras) que eles encontraram, com precisão, o local onde o Messias haveria de nascer. Essa combinação de busca pela revelação natural e especial de Deus nos ensina o modo certo de buscá-lo. Precisamos aprender a enxergar toda revelação de Deus em nós, na natureza e em todo Cosmos e também em sua revelação especial, As Sagradas Letras. Acima de tudo, precisamos aprender a enxergar Deus em sua mais nobre revelação. Cristo Jesus!


"Se queremos conhecer Deus de verdade, temos de depender daquilo que ele revela sobre si mesmo. A Bíblia declara que Deus se revela de várias maneiras. Manifesta sua glória na natureza e por meio dela. Revelou-se nos tempos antigos por meio de sonhos e visões. As marcas da sua providência se manifestam nas páginas da História. Revela-se nas Escrituras inspiradas. O ponto mais alto da sua revelação é visualizado em Jesus Cristo, tornando-se ser humano – o que os teólogos chamam de "encarnação"." - R.C. Sproul


“Ó menino, a quem os astros se submetem! De quem é tamanha grandeza e glória de ter, perante seus próprios panos, Anjos que velam, reis que tremem e sábios que se ajoelham? Quem é este, que é tal e tanto? Admiro de olhar para panos e contemplar o céu; ardo de amor ao ver no presépio um mendigo que reina sobre os astros. Que a fé venha em nosso socorro, pois falha a razão natural.” - Agostinho de Hipona

  • Compartilhe:

Você também pode gostar:

0 comentários