Coringa - Um filme errado na hora certa


### NÃO CONTÉM SPOILERS ###

Li a seguinte crítica sobre o filme do coringa: "Trata-se de um filme errado, numa hora errada". Achei exagerado. Após assistir, concordei em partes. Foi o primeiro filme que me fez ficar com medo de tomar um tiro de um doido qualquer na saída do cinema. Isso porque o filme parece ser uma sucessão de bons argumentos para qualquer um perder a cabeça, desistir deste arranjo social e moral que vivemos e partir pra anarquia. Uma narrativa de abandonos e desafetos em série, potencializada pela absurda interpretação de Joaquin Phoenix coopera para entregar a sensação de que tudo aquilo é verídico ou totalmente factível.

Saímos do cinema com aquela indigestão típica dos filmes bons e pesados. Entramos no carro e partimos da crítica para a constatação de que isso está aí, acontecendo sem miséria em diversos lares destroçados, onde pessoas experimentam não só o desafeto das ruas cheias de gente, mas também da falta de intimidade e empatia dos seus.

Milhares de coringas encaram a realidade de não ter quem se interesse. Milhares enfrentam uma espiral descendente de abandono e descaso, muitas vezes sem ter a mínima oportunidade de encontrar apoio médico, emocional e espiritual. Milhões estão sozinhos ao redor de milhões, nas ruas, nos feeds e nos stories, disfarçando a tristeza com likes e memes repetidos.

Essa ausência cruel e tediosa retratada no filme, acaba revelando o essencial que muitas vezes desdenhamos. A rara e preciosa empatia dos amigos próximos. O cuidado rotineiro dos parentes. A preocupação com a saúde física e emocional daqueles que convivem ao nosso redor. Essas coisas básicas que não podem faltar porque são os fundamentos de nossa vida afetiva e social. Essas coisas imprescindíveis que temos relativizado.

O coringa é uma caricatura bizarra de todos nós quando usamos esse abandono e descaso social como justificativa para ferir o outro. Somos coringas sempre que aderimos ao mal como saída para essa antipatia e distanciamento do mundo pós-moderno. Afinal, é bem mais fácil ferir o outro que me ignora do que me tratar e entender que também faço o mesmo, vez ou sempre. Somos todos coringas em potencial.

Interpretando de modo otimista, o filme é sobre família, porque revela onde a falta dela pode nos levar. É aí, que me lembro da dura orientação de Paulo ao seu discípulo, Timóteo:
Aqueles que não cuidam dos seus, especialmente dos de sua própria família, negaram a fé e são piores que os descrentes. I Timóteo 5.8
Uma família esfacelada é uma fábrica de Coringas, ainda mais em uma época e cultura onde estar rodeado de gente e seguidores, na maioria das vezes, não representa nenhum sinal de, afeto, empatia ou pertencimento.

Chegamos em casa perplexos, mas também gratos a Deus pelo lar que somos. Por perceber que somos invisíveis para muitos, mas não para alguns que se importam. Talvez, olhando por esse ângulo, possa ser um filme errado na hora certa, pra que pelo menos a gente, que se assume cristão, entenda que é preciso ouvir o Mestre e ser Sal e Luz para milhões de invisíveis, antes que eles resolvam assumir sua maldade e por um sorriso vermelho na cara.
Coringa - Um filme errado na hora certa Coringa - Um filme errado na hora certa Reviewed by Transformai-vos on outubro 09, 2019 Rating: 5

4 comentários:

  1. Irmão, vc n pensa que a armadilha do Coringa é nos fazer pensar que podemos nos colocar além do bem e do mal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida, Lucas! Como disse, ele faz uso de ter sido abusado, abandonado e ignorado como justificativa para se colocar acima do bem e do mal. Fazemos isso constantemente, porém, em doses bem menores.

      Excluir
  2. É, essa reflexão deve nos fazer olhar a nossa volta e pra nós mesmos. Estamos vivendo em mundo coringa. Quem vai ser luz nessa hora? Meu Deus, perdoe-nos pelo tempo perdido.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o filme! Ótima crítica social!
    E seu texto complementa todas as impressões positivas e negativas nos trazendo ao prumo. Costumo sair deprimida de filmes assim, mas deste, saí empolgada por mudanças que vemos que são necessárias e que precisam acontecer a Muito bom o filme! Ótima crítica social!
    E o texto complementa todas as impressões positivas e negativas nos trazendo ao prumo. Costumo sair deprimida de filmes assim, mas deste saí empolgada por mudanças que vemos que são necessárias e que precisam acontecer a começar em mim, com certeza! Lucas, obrigada por suas incursões e imersões sempre oportunas!

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.